O argumento foi bom ou o sapo foi ingênuo?

sexta-feira, dezembro 09, 2016 Irismar Oliveira 0 Comments



O sapo e o escorpião

Acredito que quase todos já ouviram ou leram a  fábula sobre um escorpião que pede a um sapo que o leve através de um rio. Conta que o sapo teve medo de ser picado durante a viagem, mas o escorpião argumentou que se picasse o sapo, ele iria afundar e o escorpião iria se afogar também. Então sapo concordou em levar o escorpião, mas no meio do caminho, o escorpião, ferroa o sapo, condenando os dois. Quando perguntado por que o escorpião havia picado, o escorpião respondeu: que esta é a sua natureza e que nada poderia ser feito para mudar o destino.


Assim como o sapo da fábula, muitos de nós já levamos alguns escorpiões nas costas, que sem pena e sem dor nos deixaram paralisados e em alguns casos quase nos afundam. 

O que podemos aprender com essa fábula? 

1) A primeira coisa que chama a nossa atenção nessa historia é que o sapo teve medo de ser picado, ou seja ele não era ignorante quanto ao perigo que lhe rondava, que é diferente dos casos que não percebemos e por isso damos as costas para os que vão nos apunhalar. Ele teve medo, ele sabia do risco que corria se levasse o escorpião.

- Amigo sapo, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?

O sapo respondeu: - Só se eu fosse louco! Você vai me picar e eu vou ficar paralisado e afundar
.

O que fez o sapo cedeu o pedido do escorpião? O que aconteceu para ele desconsiderou o perigo? 

2) O fábula diz que logo após o sapo expressar seu medo, o escorpião argumentou: Disse o escorpião: - Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos e nos afogaríamos.


Definição de argumento: Argumentar é atribuir verbetes lógicos, afim de convencer outrém, sobre determinado assunto, aquilo que você busca afirmar ou defender usando um discurso na maioria das vezes formal, para que esse ganhe consistência e fundamentação. Ele teve um bom argumento para justificar sua resolução.

O argumento foi bom ou o sapo foi ingênuo? 
Olhando de fora a história, é certo dizer que o sapo foi ingenuo, tolo e burro, mas quando olhamos os detalhes podemos perceber que o sapo tinha algo mais forte do que ingenuidade, ele tinha facilidade para acreditar nas pessoas. A história diz que ele acreditou no argumento do escorpião.

Confiando na lógica do que disse o escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, nadando para atravessar o rio.

Sim ele teve um pouco de ingenuidade, pois desconsiderou mediante argumento aquilo que poderia lhe prejudicar e matar por ser livre em confiar nas pessoas. Mas, é isso que faz as pessoas livres da maldade, pessoas cujos corações são generosos e tem facilidade para dar chances para as pessoas.

O que podemos aprender com o sapo? Devemos deixar de acreditar nas pessoas? São todas iguais? Não!! O que podemos aprender com o sapo: Não devemos desconsiderar alguns sinais por menores que sejam das atitudes das pessoas, desconsiderar aquele receio ou pressentimento). 




Ser equilibrado no que se refere a ingenuidade. Ser cautelosos e prudentes com qualquer pessoas que se aproximar (no meio dos verdadeiros amigos, sempre aparece uns escorpiões se fazendo de amigos).

Pessoas do tipo escorpião, são boas em argumentos, e é natural ferir, machucar sem pena e sem dor as suas vitimas. 


Não sei quantos escorpiões você já ofereceu as costas por confiar neles, talvez alguns te deram motivos para não confiar em mais ninguém, eu sei como é doloroso e cruel passar por isso. Se posso te dizer algo, te digo: Seja sempre cauteloso e prudente, nunca incrédulo e fechado, pois existem muitos sapos por esse mundo a fora. ( gente boa, gente amiga). 

Guarde seu coração, não permita que a maldade de alguns escorpiões paralise o seu coração. Ande em amor!


Que Deus nos conceda discernimento para não cair nos argumentos desse tipo de pessoas e nos livre de ser como elas.


( by Irismar Olivira) 




Você também pode gostar

0 comentários: